Ed Wood  ·  Eventos  ·  Filmes  ·  Tim Burton

Ed Wood – O Melhor dos Piores de Todos os Tempos

(Escrito por Rosa Maria, colaboradora do fórum Depplovers que, morando em SP, não perdeu a oportunidade de participar deste evento. ~Sa)

ED WOOD e TIM BURTON

Na última sexta-feira, dia 30/08/2013, encerrou-se a mostra ED WOOD – O Melhor dos Piores de todos os Tempos, na Caixa Cultural São Paulo.
Durante duas semanas foi possível assistir a um documentário sobre o cineasta, Ed Wood: Look Back in Angora, além de oito de seus longa metragens e a cinebiografia de Tim Burton, Ed Wood, com Johnny Depp.


Johnny Depp e Tim Burton

Muitos foram os comentários elogiosos sobre a mostra na mídia, e os fãs estiveram presentes todos os dias, sendo que algumas sessões foram encerradas sob aplausos. Confesso que até conhecer o Ed Wood de Tim Burton, um filme maravilhoso, que não me canso de rever, pouco sabia sobre o cineasta que recebeu o título de “Pior diretor de todos os tempos”, e como costuma acontecer com tudo que se relaciona ao universo de Mr. Depp, o filme me levou a ler sobre Ed, conhecer seus filmes, sua vida e trajetória. Esta foi uma oportunidade única de conhecer seu trabalho de perto.
E eu consegui admirar ainda mais Tim Burton. Ele conseguiu reproduzir com perfeição cenas dos filmes de Wood, a ponto de não ser possível diferenciá-las. Lá está o cenário que balança, o polvo gigante, as falas e poses de Bela Lugosi (Martin Landau magnífico), e suas licenças poéticas, como a grande estreia de Plano 9 do Espaço Sideral, que na verdade nunca existiu.


Ed Wood

Uma homenagem sensível e sincera de verdadeiro fan. A delicadeza da abordagem da condição de cross-dresser do diretor, tão bem representada por Johnny, nos prepara para melhor compreender o filme Glen ou Glenda.
Aliás, o filme Glen ou Glenda, onde o próprio Wood vive o personagem principal, guardada as devidas proporções, é de uma atualidade gritante. Muita ousadia, ou loucura, falar sobre travestis, cirurgia de mudança de sexo, etc. em pleno 1953!
Tim não faz nenhuma referência à fase final da vida de Wood, que morreu na miséria, vítima do alcoolismo.A alegria, a criatividade, a amizade, a persistência de Wood, e sobretudo o seu amor pelo cinema foram exaltados, e admiravelmente interpretados por Johnny Depp.


Johnny Depp como Ed Wood

Ao final do documentário, é possível ouvir o próprio Ed Wood gritando “corta”, e mais uma vez não é possível distinguir se ouvimos Depp, ou Wood, tão meticuloso foi o trabalho de construção do personagem.
Apesar do reconhecimento, tendo inclusive recebido dois Oscars, o filme foi um fracasso de bilheteria, ironicamente, como os filmes do seu personagem. Entretanto, o tempo tratou de convertê-lo em um filme cultuado, e transformou seu protagonista numa espécie de herói das novas gerações de cinéfilos e realizadores.
E como diz o Folder da mostra,

“A paixão de Ed Wood pelo cinema foi a sua grandeza, felicidade e ruína. Ele fez filmes para outros sonhadores como ele. Gente que não quer enxergar a linha, só o disco voador. Gente que não se entrega, não se trai e não desiste de sonhar.
A obra de Ed Wood demonstra que a falta de recursos, de talento e de conhecimento não supera a criatividade e a imaginação”.

11 thoughts on “Ed Wood – O Melhor dos Piores de Todos os Tempos

  1. CamilaD disse:

    Rosa, gostei do Post! Como deve ter sido bom participar de um evento em homenagem ao Ed! Desde que vi o filme Ed Wood pela primeira vez, me interecei pelo trabalho do Diretor. Vi dois de seus filmes pela internet. Tim e Johnny fizeram uma bela retratação dele. Ele já virou uma lenda.

  2. Adriana disse:

    Valeu, Rosa! Super merecida esta mostra. Homenagem para aqueles que nunca desistem do seu sonho!

  3. Luzmarilda disse:

    Rosa valeu.

  4. nataliaD disse:

    Rosa, Parabéns pelo post…

  5. Heleusiane disse:

    Rosa, adorei o post. Valeu pelas informações. Me deu até vontade de assistir Ed Wood novamente.

  6. Liroque disse:

    Rosa! Que encanto… Amei o post! Quantas informações preciosas! Valeu demais!

  7. Ana Alice disse:

    Amei o post *-* valeu Rosa :mrgreen:

  8. Dih YT disse:

    Tive a oportunidade de ir na ultima semana da mostra e sinceramente, foi lindo!
    É notável que durante a mostra houve um cuidado de selecionarem os filmes em ordens para que todos pudessem ver sem repetir e que não perdesse algumas obras que mesmo não sendo citadas por Tim Burton no Ed Wood, tem muito conteudo e que vale bastante a pena ver, não apenas pelo filme do Tim mas pelo próprio Ed… Há um carinho que ele trata as coisas que é dificil falar, é lindo apenas! :SM120:
    Da segunda semana da mostra vi Plano 9 para o espaço sidera, Glen ou Glenda?, Orgy of the dead, Ed Wood, The violent years e A noiva do monstro mas no ultimo, mesmo já tendo visto outras vezes, fui para ver Plano 9 e Glen ou Glenda mas uma vez no ultimo dia porque são…

  9. Ro disse:

    Não poderia esperar menos de ti, Rosa. Perfeito. Trouxestes novidades da mostra e colocastes em palavras meus atos e pensamentos. Depois de “Ed Wood” revi Plano 9 com outros olhos. Vi “Glen ou Glenda” por causa do Johnny. Pudessem todos ter este “start”.
    Sobre o Folder: “A paixão de Ed Wood pelo cinema foi a sua grandeza, felicidade e ruína. Ele fez filmes para outros sonhadores como ele. Gente que não quer enxergar a linha, só o disco voador…”
    Dá licença! Chorei aqui.

  10. Rosa Maria disse:

    Obrigada meninas! 😛

  11. Ca_Depp disse:

    Rosa…maravilha de post.

    Conheci Ed Wood através de Tim Burton também. E foi depois que assisti ao filme, que fui pesquisar sobre ele, e o que ele tinha se tornado.

    Ir num evento sobre uma personalidade como o Wood, deve deixar as pessoas maravilhadas. Ele tem muita história.

    Parabéns..adorei =) 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

«
»