Entrevista de Bruce Witkin ao After Hours Podcast em 13/03/2017

Bruce Witkin, é um amigo de Johnny desde a juventude. A música está em suas veias desde sempre. Os dois casaram com duas irmãs, Lori e Suzanne, e apesar de Johnny ter se divorciado em pouco tempo, todos continuam uma grande amizade. Suzanne é fotografa e o Johnny está sob suas lentes durante toda a carreira.
Bruce não é muito ligado em redes sociais como Johnny, e pela primeira vez vemos ele dando uma entrevista e falando sobre essa amizade, focando na parte musical.

Episódio 5 – Bruce Witkin
13 de março de 2017 – Por After Hours Podcast.

Em 2007, Johnny Depp disse de Bruce Witkin: “Esse cara é alguém que eu conheço há 30 anos. Ele é um irmão. Trabalhávamos em bandas juntos, estávamos juntos na estrada, vivíamos juntos. ”

Uma dessas bandas foi The Kids, que Bruce começou na Flórida em 1978, e com quem ele e Johnny iriam para Los Angeles na busca de fama e fortuna. Corte para quase 40 anos depois e Bruce e Johnny estão em outra banda juntos, um pequeno supergrupo de rock chamado Hollywood Vampires, com Joe Perry, Matt Sorum e Alice Cooper.

Entre The Kids e The Vampires, Bruce trabalhou com todos, desde Paul McCartney até Marilyn Manson, além de produzir trilhas sonoras de filmes como The Lone Ranger, The Rum Diary e Sweeney Todd, pelas quais ele foi indicado para um Grammy.

Ele é um dos músicos mais “baddest” em LA e um jogador de poker muito médio. Então sente-se, relaxe, e aproveite este (muito smokey) Depois de conversa de horas com o Sr. Bruce Witkin.

“Alguém me mostra que há todas essas fotos com Johnny, mas quando há uma comigo e ele nela, ele tem um sorriso diferente em seu rosto.” Bruce Witkin.

Bruce Witkin Discute:

Deixando o Bronx para Miami
Tocando em The Kids com Johnny Depp
Tocando nos Hollywood Vampires
Tour com Adam Ant e Vanessa Paradis
Trabalhando com Paul McCartney
Trabalhando com Marilyn Manson
Trabalhando na Jiminy Glick em Lalawood
Trabalhando em Sweeney Todd
O Glam Skanks
Sheila Witkin
A cena musical do sul da Flórida dos anos 70 e 80
Ser nomeado – e tocar – The Grammys
Matt Sorum e Duff McKagan
Vivendo no iate de Nicolas Cage com Johnny Depp
Mudanças
Unison Music
A banda de Johnny Depp “P”
Novo álbum dos Hollywood Vampires
Post traumática tour depressão
Olhando para trás
Faculdade
Tighty Whities band

É dificil para nós traduzirmos uma entrevista em video “de ouvido”. Quando é um texto escrito fica mais facil. Mas tentamos. Focamos nos trechos em que ele se refere ao Johnny. Estão falatando muitas, mas vamos continuar e depois editaremos até completar.

O entrevistador começa +/- assim:

“Eu tenho um convidado incrível aqui, esse cara estava na estrada com a banda Hollywood Vampires, pra vocês que estão familiarizados, uma super banda de rock formada por Joe Perry do Aerosmith, Alice Cooper e Johnny Depp e Bruce Witkin…” “Nós sempre escutamos falar sobre esse cara Bruce, que tem um excelente estúdio, que é músico, escutamos sobre esse cara que está em uma banda com Johnny Depp, de quem que é um grande amigo, escutamos falar sobre que a banda produz um monte de coisa legal”

(1:55) BW: Eu me mudei para cá em 84 com a banda que eu estava chamada The Kids com o Johnny”

Entrevistador: The Kids é uma outra legendária história, as pessoas sempre falam sobre Johnny Depp e sua primeira banda the Kids, (…) Então você estava nessa banda com Johnny?
BW: Mós estávamos tocando em lugares da Flórida… em qualquer lugar que conseguimos, nós fomos para Costa tentar viver de música… então Johnny tinha uma pequena banda que soava um pouco como nós e ele queria se juntar com a banda. Nós estávamos no meio de uma transição de guitarristas e nós o conhecemos, ele fez o teste e entrou. Quando ele entrou as coisas (mais uma parte que não consegui traduzir)

(3:04) BW: Nós viemos da Flórida com uma situação bem confortável….

(3:20) 25 anos depois fizemos uma reunião com um show na Flórida para(homenagem) minha mãe, eu e Johnny fizemos muita audições, muito jovens para levantar algum dinheiro, mais para 87, 86. Ele fez A Hora do Pesadelo, eu acho que foi em 85, nós ainda estávamos na banda naquele momento, ele não saiu, só foi ganhar uma grana.

Entrevistador: Para quais bandas vcs abriram shows na Flórida?
BW: Na Flórida nós abrimos para um monte de bandas, The Pretenders, Talking Heads, B-52’s, REM, U2. Éramos umas das poucas bandas que tinha lá que não tinha cabelo grande…
(4:16) Estávamos morrendo por dinheiro, estávamos quebrados, vendendo canetas (…) o resto para o Johnny é história.

(4:47) BW: Em Hollywood Vampires é apenas um grande prazer para mim porque o foco está nos três caras da frente (Joe Perry, Johnny Depp e Alice Cooper) (…) nós tivemos alguns dramas, obviamente, problemas pessoais, mais na maioria do tempo os 99 minutos no palco eram ótimos. Aerosmith costumavam fazer 1 show e tiravam 3 dias off e eu não sabia disso que o Joe não fazia show atrás de show desde dos anos 90, em um momento nós fizemos 7 shows em 9 dias, acho que para Joe era mais como “eu posso fazer, eu sei que posso fazer”. (…) (Referindo-se ao esgotamento que Joe teve e acabou desmaiando no palco em NY)

(5:33) Entrevistador: É maluco olhar pra frente e ver, p***a é o Alice Cooper que está no palco?
BW: Eu conheço Johnny, conheci Joe provavelmente 4 anos atrás, nós nos tornamos amigos e trabalhamos em um trabalho solo. Mesmo com Joe, é tipo, wow é o Joe. Com o Cooper, a coisa interessante sobre o Cooper (…) ele não para.

(6:26) É uma coisa interessante ver esses caras dando ao Johnny tanto respeito do jeito que fazem, Johnny é um guitarrista maravilhoso, ele sempre tem sido um artista, eu acho que se vc perguntar para ele o que me perguntou, ele responderia “porque esses caras estão no palco comigo? Eu sou ninguém” Eu acho que isso faz parte dele.

(6:41) Eu acho que isso faz parte dele, tendo um pedaço do que nós começamos a construir. Alguém uma vez me falou que sempre tem foto do Johnny, teve uma você(BW) e ele, ele parece diferente, um sorriso diferente no rosto. Então eu acho que para nós, é um pequeno pedaço do que talvez poderia ter acontecido com a banda que nós começamos.

(7:51) Eu fiz uma turnê com a ex mulher do Johnny, Vanessa Paradis, foram 4 meses em Paris, França.

(8:01) Quando tudo se juntou com o disco do Vampires, Bob Ezrin que sempre trabalhou com Alice, eu o conheci e começamos. Tommy e eu gravamos demos e mandamos para o Bob e ele mostrou para Alice. Quando sabíamos que tinhamos uma ideia para o CD (..).
(8:51) Johnny fez um vídeo para o Paul (..) ele me ligou e disse “Paul está vindo”, eu pensei “puta merda”.
(9:24) Por ser amigo de Johnny, eu conheci muita gente durante os anos.

(11:50) Sweeney Todd foi uma coisa interessante, eu basicamente estava gravando a voz do Johnny, quando conheci Tim pela primeira vez, ele veio e me falou “vc sabe, não vou fazer esse filme se vc não fizer isso, então toda a pressão está em vc”.

(13:14) quando Johnny se viu no lifestyle, viviamos nessa casa de banda, conheceu minha mãe, ele se apaixonou por ela. Quando ela morreu, ele falou “talvez podíamos fazer um pequeno show em Flórida” Umas 10 bandas toparam, diziam “ooh, nós amamos sua mãe”. Muitos amigos foram, amigos que tinha uns 20 anos que não viamos, eles foram lá tocar, arrecadados dinheiro para caridade, foram incríveis duas semanas.
Para Johnny, quando fizemos as primeiras reuniões para o show (…) não era aquela loucura de fãs do Johnny, no outro ano fizemos outra vez e foi assustador, ele não queria ser o foco, isso era para a banda e eu acho que os Hollywood Vampires os caras são tão famosos quanto ele, ele pode ir até lá e não será sobre ele. (..) Ele está fazendo aquilo que ele sempre quis fazer. Nós falamos sobre voltar a tocar com a velha banda e talvez ir no Japão fazer uma sequência de shows, então ele seria o mais famoso da banda, acho que se acontecesse ele se sentiria bem estranho

(19:17) Quando estava fazendo Piratas do Caribe 2 e 3 um atrás do outro, ele veio e “ei podemos sair” e eu “onde estamos indo” ele me respondeu que era para uma pequena ilha chamada Dominica, mas os hotéis lá não são bons, sabe? (…) então nós ficamos no seu iate, que é onde moramos. (…)
(19:50) ele virou e me falou, “acho que comprei isso para Nick”. Ele é um cara real e essa é a história do Nick.
(20:16) foi Nick que recomendou uma agente para o Johnny.

(24:58)Entrevistador: E sobre a The Hollywood Vampires, voces falam sobre fazer algo novo?
BW: Eu acho que agora somos como uma banda, antes não éramos uma banda, era apenas um album, então colocamos essa banda na estrada e nós meio que trabalhamos bem juntos, então eu acho que o próximo trabalho que iremos fazer provavelmente vai soar como a banda.

Entrevistador: Quando a turnê acabou vc sentiu algum tipo de alívio?
Bw: Foi estranho, acho que sofri de PTTD, pos traumática turnê depressão (na forma literal), vc acaba entrando nessa rotina, nós fizemos muitos shows, 18 shows em 24 dias. Quando voltei para minha casa Era como “o que estou fazendo, preciso fazer algo”. Precisei de uns 10 dias para retornar qualquer coisa que eu estava fazendo antes.

Trad. Mayla Leda Caldeira da equipe DeppLovers

2 thoughts on “Entrevista de Bruce Witkin ao After Hours Podcast em 13/03/2017

  1. Liu disse:

    INCRÍVEL!!!! Simplesmente, maravilhoso ler tudo isso! Obrigada, Equipe DeppLovers!

  2. Ro disse:

    A cada tesouro de entrevista, como essa, entramos mais um pouco no mundo de Johnny Depp. Obrigada pela tradução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

«
»