Frank Langella fala sobre Johnny em “O Ultimo Portal”

O ator Frank Langella, que contracenou com Johnny no filme The Ninth Gate (O Ultimo Portal), de 1999, durante passagem pelo SITGES – O Festival Internacional de Cinema Fantástico da Catalunha, em 13/10/2017, fez revelações carinhosas e engraçadas sobre Johnny. As declarações foram publicadas pela página ilcineocchio.it/cinema, em 18/10/2017.

Frank Langella em “O Nono Portal”: “Quantas risadas com Johnny Depp e com o zangado Roman Polanski naquela época”

O ator lembrou a experiência divertida no set do suspense de 1999, contando algumas histórias sobre o trabalho.
Presente no último Festival Sitges para pegar um prêmio de carreira especial, aos 78 anos de idade, Frank Langella recordou sua participação em The Ninth Gate (O Nono Portal), um thriller de 1999 dirigido por Roman Polanski, tirado da novela “The Dumas Club”, do escritor espanhol Arturo Pérez-Reverte, onde atuou ao lado de Johnny Depp.

Estas são as suas palavras:

Eu tinha acabado de chegar da América e eu estava muito cansado, sob a influência do jet lag e não tinha comido nada. Colocamos os scripts na mesa e me virei para perguntar a alguém se poderíamos comer um sanduíche ou qualquer outra coisa pois eu só precisava comer algo.
Quando me virei Johnny não estava mais. Eu pensei que, como ele era a grande estrela do filme eu ficaria feliz em esperar um pouco. Então comecei a conversar com Roman sobre a cena, até que Johnny voltou para o local com meu sanduíche e uma bebida. Ele saiu assim que ouviu o meu pedido.
Perguntei-lhe por que ele fez isso, vendo o seu status, e ele simplesmente me respondeu: “Você estava com fome!”

Continuamos a ter um relacionamento maravilhoso durante o trabalho.
Por algum motivo, eu tinha o exato senso de humor que fazia Johnny rir, não importava o que eu dissesse, mesmo no meio das cenas mais escuras.

Lembro-me de que um dia quando voltávamos, a ponte dentária móvel que eu tinha na minha boca soltou-se, então, enquanto Johnny dizia suas piadas, fui forçado com a língua a tentar segurá-la.
Quando chegou minha vez, depois de algumas palavras, eu abri a boca e meus dentes caíram na minha mão. Johnny riu por dias, pedindo-me para fazê-lo e fazê-lo novamente! [Ri]

Eu acho que entre os muitos atores jovens com quem eu trabalhei e admirei, como Adam Driver e James Marsden, Johnny é o que eu fiquei mais impressionado, não só pelo talento extraordinário, mas porque ele era uma das melhores pessoas com quem eu trabalhara naquele momento.

Digo-lhe outra boa anedota.
No final do filme, há uma sequência em que Johnny e eu estamos lutando e eu tento matá-lo antes de pegar fogo.
Você deve saber que Roman Polanski gostava de recitar cada cena sozinho diante dos atores, então ele reuniu a todos e depois de sentar no centro, em uma cadeira com o roteiro em sua mão, começou a ler minha parte, a de Johnny, a de Lena Olin e assim por diante.
Johnny e eu achávamos Polanski sempre muito divertido. Havíamos terminado uma cena e eu estava com ele no topo de uma escada, olhando lá de cima para Roman, que recitava.
Nós éramos como duas crianças na igreja, tentando não rir alto. Eu também tinha uma pistola na minha mão, na qual eu continuava apertando o gatilho em silêncio, até que, num certo momento, Roman ergueu a cabeça para nós e disse: “Pare de clicar esta maldita arma!” Então eu olhei para Johnny e disse:
“Você tem uma bala por caso?” Esta foi a gota que transbordou o pote, porque não conseguimos parar de rir.
O inesperado é que, um ano depois, recebi um pacote de Paris contendo uma fita. Johnny, que tinha um fone de ouvido durante a gravação, havia gravado nossas risadas com a voz de Roman no fundo.
Uma experiência que valeu ouro. [Ri]

Tradução: Heleusiane/ fórum Depplovers

Matéria original.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

«
»