Johnny Depp à la Burton mode

Quando a repórter americana se confundiu em dizer que eles se conhecem há mais de “dez décadas”, cometeu um ato falho. Ou seja, ela expressou o que ela sentia em relação a estes dois artistas de infinita sincronia e enorme afinidade. Embora tenha provocado uma onda de risos em Johnny e Tim, ela não estava totalmente errada. É esta a sensação que tem quando a gente vê estes dois juntos. Tim e Johnny são almas gêmeas, irmãos de espírito que já estiveram juntos em muitas vidas. Desde 1990 caminham juntos no mundo do cinema e também fora dele. Desde crianças, embora afastados, já “dividiam” o mesmo mundo e afinidades sem se darem conta de que um dia a arte iria trazê-los juntos.

Resolvi então, montar um banquete com os personagens que estes dois criaram com tanta imaginação e magia e oferecê-lo a vocês.

Edward : (1990)

“Ele é a imagem onírica do próprio cineasta, o garoto monstruoso e desajustado com coração de criança e alma antiga…” “A dolorosa história de Edward engloba o que sinto em relação à vida”, confirmaria Burton, dando crédito aos críticos que disseram que o longa seria uma autobiografia velada. “É uma mistura de bem, mal, sobra, luz, alegria e tristeza.” ( ‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg 13).

Vincent Price disse que apesar de Johnny estar totalmente envolvido no personagem, ele mantinha um sorriso no rosto porque sabia quem era aquele menino de mãos de tesoura.

Este foi o primeiro trabalho de Tim e Johnny juntos e já se notava que um era o complemento do outro. A conspiração universal já estava feita quando dentre tantos artistas em alta na época; Tom Cruise, Nicholas Cage, Tom Hanks, Tim escolheu este jovem tímido, desesperado para “se livrar” do padrão Hollywood que no primeiro encontro mal conversou com ele, mas que queria este papel mais que tudo. Tim não só conseguiu um ator para fazer Edward, ele conseguiu um ator que transcendeu à interpretação e deu vida ao seu personagem.

“Ele tem uma vida interna muito forte, atormentada e passional, que é totalmente o contrário de que sua aparência externa nos mostra.” ( Tim Burton comparando Johnny e Edward em ‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg 105).

Ed Wood : (1994)

Um tributo ao “pior diretor do mundo” como foi rotulado Ed Wood que ficou famoso somente depois de sua morte por seus filmes de ficção de categoria B e por gostar de se vestir como mulher. A interpretação de Johnny rendeu-lhe uma indicação ao Globo de Ouro.
Foi um trabalho para Johnny Depp viver e vestir “a memória da vida de alguém”.
E como os registros do comportamento de Wood eram extremamente contraditórios, Depp teve liberdade total. Sua interpretação de “apresentador de game show” de Wood, facilmente a coisa mais ampla e teatral que Depp já fez, foi inspirada não nas memórias de Kathy Wood ou Dolores Fuller, mas… em Andy Hardy
( famoso apresentador de game show).” ( ‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg. 189)

“Ele fica tão bem de mulher que me irrita” diz Sarah – Jessica Parker. “Para começo de conversa, ele é um homem bonito, e então você o veste de mulher e ele fica bem melhor do que eu. E com belas pernas.”
“Era importante achar alguém que tivesse boa aparência”, afirma Scott Alexander. “Não queríamos um ator que despertasse risos ao se vestir de mulher. Johnny anda como um motorista de caminhão. Não tem nada de efeminado nele.” (‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg. 189)

Tim mais uma vez estava à procura do inusitado, do ‘outsider’ que poderia fazer Ed Wood sem caricatura, mas com certa inocência e doçura. Johnny o fez tão bem que Kathy Wood o viu em uma das cenas e lhe deu de presente a carteira e a agenda telefônica de Eddie. “Não sei o que me deu para fazer aquilo”, afirma Kathy, que ficou com poucas coisas de Ed. “Apenas senti que era o que o Eddie gostaria que eu fizesse.” (‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg. 189)

Ichabod Crane : (1999)

Mais uma vez a produtora deu para Tim uma lista de atores famosos; Brad Pitt, Liam Neeson, mas ele já tinha em mente quem seria perfeito para o papel de Ichabod Crane. Tim sabia que somente Johnny seria capaz de interpretar sua visão única sobre o inspetor e ter coragem suficiente para ir além.

“Ele é perfeito para isso”, disse Burton. “E é mais fácil quando você trabalha mais de uma vez com alguém, pois não precisa verbalizar nem falar a respeito de cada uma das coisas que pretende fazer.” (‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg. 244)

Estava previsto que Johnny usasse uma prótese no nariz e nas orelhas à principio, mas depois ele preferiu usar um visual mais limpo para que a personalidade de Ichabod fosse evidenciada em seus modos e olhares. Johnny preferiu fazer o inspetor de um modo mais feminino, amedrontado, mas ainda assim um herói e Tim lhe deu esta liberdade.
Este foi o primeiro filme de alta bilheteria desta dupla dinâmica!

“Pudemos escalar os melhores atores do mundo”, comemora Schroeder. “Lembro-me da primeira vez que filmamos uma cena em que os veteranos (Gambon, Gough, Griffiths, McDiarmid e Jones) levam Ichabod para uma sala e lhe contam a lenda do cavaleiro sem cabeça. Da pra ver o rosto daqueles cinco atores maravilhosos, todos de idade, parecendo uma pintura antiga, juntamente com Johnny Depp, que é eterno, mas contemporâneo. Era uma ótima mistura.” (‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg. 248)

Willy Wonka : (2005)

Johnny estava filmando “A Janela Secreta” quando recebeu um telefonema de seu velho amigo Tim, pedindo que se ele tivesse um tempinho fosse até Nova York bater um papo. Johnny o atendeu mais que depressa. Quando se encontrou com Tim em um restaurante, depois das devidas perguntas sobre a família e tudo mais, Tim foi direto ao assunto e disse que tinha um projeto de refilmagem para “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, Johnny se lembra que mal podia esperar Tim terminar de falar, para dizer “Estou dentro!” ao final da explicação, Tim disse que gostaria que ele fizesse Willy Wonka e que ele lhe daria um tempo para pensar a respeito e Johnny rapidamente disse“ Se você me quer no projeto, estou dentro!”. Meses depois, após as filmagens de “Em busca da Terra do Nunca”, Johnny estava em Pinewood para iniciar “Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate.”

É claro que Willy Wonka de Tim e Johnny nada teria a ver com o clássico Willy Wonka de Gene Wilder na versão original.

“Independente do que você pense do filme de 1971, a personalidade de Gene Wilder se destaca”. afirma Depp. “Ele é assustador. Este é um grande desafio para um ator. Então, a única coisa a fazer é voltar ao livro e tentar entender o que Roald tinha na cabeça.”(Johnny em ‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg. 288)

Tim queria que o personagem fosse o mais perto do real, que as pessoas acreditassem nele.

Na nova versão de Burton, Johnny Depp não é tão tranqüilizador. Ele é um homem infantil com a cabeça na lua, rosto branco como leite e olhos arregalados.
O filme é deslumbrante, mas algumas pessoas (não as crianças, talvez seus pais) não vão gostar por causa de seu estilo macabro à La Grand Guignol. Levamos um tempo para nos acostumarmos com Depp. Ele concebeu seu Wonka como uma passivo-agressivo sorridente, um Sr. Frio que ficou mais leve pela carga emocional que carrega, e que não tem muitas variações. Assim como a primeira fusão Burton/Depp, em Edward Mãos de Tesoura, ele é um ser atrofiado por pais ineptos (a semelhança com Edward é demonstrada com uma piada: em um flashback, Wonka corta a fita na inauguração de sua fábrica e, por trás, vemos a tesoura saindo de sua manga).
Edward, o artista visionário, tinha a tendência de cortar a si mesmo e os outros sem querer; era o jeito de Burton dizer: “não posso evitar minha hostilidade, é assim que fui feito”. Já a amabilidade de Wonka, por outro lado, é bizarra demais para enganar alguém.
(‘O estranho mundo de Tim Burton’. Pg. 290-291).

Victor Van Dort : (2005)

Durante as filmagens de “Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate”, Burton estava trabalhando em um projeto paralelo “A Noiva Cadáver” uma animação bem ao seu estilo sombrio e melancólico e pediu a Johnny para dublar Victor, um rapaz tímido que seria forçado pela família a se casar com a doce Victoria, mas que no dia dos seus votos acaba colocando a aliança no dedo de Emily “a noiva cadáver”(dublada por Helena Boham- Carter) acidentalmente. Johnny aceitou achando que este seria um projeto pós -Fábrica de Chocolate, quando para sua surpresa, um dia Tim chega no set e anuncia que eles iriam fazer algumas gravações naquela noite. Johnny não tinha noção sobre como faria o personagem, mas disse “Claro! Tudo bem!”.

A construção do personagem aconteceu entre a passagem do set de filmagem para a sala de som com Johnny enchendo Tim de perguntas do tipo “ Quem é Victor?” “De onde ele vem?” Mas assim que leu a história, Johnny sentiu uma conexão com Victor.

“Ele não era diferente dos outros personagens que já havia feito.Tinha a mesma base emocional. Eu nunca imaginei que eu como leitor, sairia do ator, e pensaria ‘ Bem cara, ele deveria ficar com a ‘noiva cadáver.’ Eu realmente me encontrei neste dilema o que ajudou muito nas gravações, mesmo lendo as falas eu sentia ‘ Cara, eu sei que Victoria Everglot é fantástica e tudo mais e graças a Deus eles estão juntos, mas a noiva cadáver é tão magnífica” Quero dizer, você já olhou para um cadáver e pensou “ Wow, ela é muito sexy.” ( Johnny Depp, Festival de Toronto , 2005).

Sweeney Todd: (2007)

Tim era fã do musical da Broadway “ Sweeney Todd: o Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet” de cenário gótico, meio terror, meio drama. Um dia durante em um jantar na casa de Johnny colocou o Cd para tocar e esperou a reação do amigo. Johnny disse que gostava daquilo. Anos depois veio mais um convite bizarro (…rs ) de Tim para Johnny “Você seria capaz de fazê-lo?” e Johnny , que nunca tinha cantado na vida, apenas respondeu “ Acho que sim. Me dê um tempo”. Três meses depois nascia Sweeney Todd de Johnny Depp.
Este talvez, tenha sido o trabalho mais exigente que Tim propôs para Johnny, além de ter que cantar ao vivo durante filmagens, ele ainda tinha a missão de fazer com que Sweeney, um serial killer, fosse visto com a vítima de uma trama macabra onde um juiz lhe rouba a esposa e o manda para uma prisão distante por 15 anos.

Tim diz ,“Como Boris Karloff nos antigos filmes de horror da Universal. Nós realmente queríamos que os olhos e a música contassem a história.”.

Quem melhor que Johnny para falar com os olhos? Tim sabe disto e mais uma vez explora este dom de Johnny ( já o havia feito em Edward e em Ichabod, usando a força do olhar de Depp como peça chave para a construção do caráter do personagem) .
Mais uma brilhante atuação que rendeu a Johnny indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro. Tim acertou em cheio ao convidar o amigo para mais uma parceria. Crítica e público aplaudiram.

Quando perguntado sobre o que Johnny traz nele como diretor que outros atores não trazem Tim responde: “Ele faz qualquer coisa, sabe. O fato de ele ter cantado e não ser um cantor, sabe e ele fez um dos musicais mais difíceis de se cantar. Só isto já diz tudo. Ele está disposto a ir e acreditar em mim, eu sei que para quem não é cantor, ir lá e cantar é muita exposição. Para mim é um prazer ver alguém tentar coisas artisticamente diferentes e ainda se superar e ir além das suas expectativas.”

O Chapeleiro Maluco : (2010)

Última parceria de Tim e Johnny exibida nas telas ( desta vez em 3D).

Helena certa vez disse: “Eu tenho certeza, Lewis Carroll escreveu o Chapeleiro para o Johnny interpretar. Ele teve uma premonição que em 150 anos Johnny Depp deveria interpretar o Chapeleiro Maluco!”

Há apenas um ano antes do convite de Tim, Johnny havia acabado de reler “Alice in Wonderland” e “Through the looking Glass” de Lewis Carroll e estava fascinado pelos pequenos mistérios que o livro trazia. Então, mais uma vez houve o encontro de idéias, a inexplicável afinidade entre estes dois artistas que se entendem sem se comunicar verbalmente. Tim iria filmar a sua versão de “Alice no País das Maravilhas” e Johnny faria o Chapeleiro Maluco que na sua versão seria uma pessoa atormentada por suas lembranças do passado e ao mesmo tempo louco por envenenamento de mercúrio, com questões tão misteriosas quanto seu humor, “Por que um corvo se parece com uma escrivaninha?” ou “Eu estou investigando coisas que começam com a letra M.”

Outra vez Tim explora o olhar de Johnny para trazer algo que caracteriza toda esta loucura e, mesmo usando lentes de contato verde fluorescentes e ligeiramente tortas, vê-se a força, a loucura, a doçura, a lealdade e a tristeza do personagem.

“ Ele poderia ter dito que eu faria Alice que eu teria aceito. Eu faria qualquer personagem que Tim quisesse.Mas o fato de ter sido o Chapeleiro Maluco foi um bônus por causa deste grande desafio de tentar encontrar este cara e não ser como uma bola de borracha que você joga numa sala vazia e a vê bater em todos os lugares, mas somente encontrar uma parte do personagem, mas também encontrar um pouco mais da história do cara.” – Johnny Depp sobre O Chapeleiro Maluco

Johnny e Tim conseguiram humanizar o Chapeleiro Maluco a ponto de a platéia não o enxergar com apenas um louco, mas como uma pessoa conflituosa, cheia de mistérios e que carrega em si uma lealdade, e um senso de justiça que comove a todos.

Barnabas Collins: (2012)

Este ainda está por vir! E eu ainda farei um post exclusivo quando chegar mais perto do lançamento de “Dark Shadows” em 2012. Mas vou adiantar um pouquinho para vocês a história 😉 .

Ambos, Tim e Johnny eram ávidos fãs quando crianças de uma novela de característica terror- gótica dos anos 60-70. Durante as gravações de Alice, Tim sugeriu a Johnny que devessem fazer um filme sobre vampiros, já que os dois tinham esta fascinação por coisas bizarras e personagens de monstros inusitados. Era a pista que Johnny queria para lançar a proposta de fazer “Dark Shadows” para o cinema o qual ele e sua produtora Infinitum Nihil haviam comprado os direitos autorais.

Em 2011 os dois se uniram nos estúdios de Pinewood, Inglaterra para mais um projeto grandioso,.

Não vou falar sobre o filme ou o que se trata. Vou deixar isto para o post exclusivo. Só vou adiantar que Barnabas Collins será um vampiro tradicional, bem ao estilo de Bella Lugosi , Lon Chaney Jr. ou Christopher Lee e do próprio Jonathan Frid ( o Barnabas da série original ). Quem gosta do gênero sabe do estou falando, o vampiro de Johnny será tradicionalmente sedutor, avesso à luz do dia, e para variar terá toda sua força baseada em gestos e olhares.

“ A lembrança que eu tenho de assistir o show quando criança , Jonathan Frid e o que ele fez com o personagem foi a maior inspiração, mas também a idéia de que ao longo dos anos , estes filmes de vampiros que foram lançados, e este shows de TV de vampiros e coisas deste tipo, você pensa ‘Cara, ninguém se parece com um vampiro.O que aconteceu?’

Eu adorava Drácula,e ainda adoro.Eu adorava [todos] de Bela Lugosi à Christopher Lee. Eu adoro Nosferatu,Max Schreck. Eu adoro todos os filmes maravilhosos do tipo de horror. E foi uma oportunidade realmente, uma oportunidade de fazer o que realmente não existe [na tela] muito mais, que é uma clássica maquiagem de monstro e um personagem clássico de monstro. Então essa foi realmente a inspiração que Tim e eu falamos a respeito.” Johnny Depp, sobre a construção de Barnabas Collins.

Tim e Johnny são inspiração eterna. Pura magia no cinema. Seus personagens são queridos tanto por suas fãs como pelos especializados em cinema.
Estes dois estão escritos nas estrelas!

“Descreva a dinâmica com Tim Burton. Vocês trazem o melhor de si um no outro?

Depp: Eu acho que ele é um gênio. E esta não é uma palavra que você pode falar com muita facilidade. Eu acho que Tim é tão especial, tão único. Nossa relação de trabalho é, como você pode imaginar, estranha. Porque há uma espécie de atalho emocional. Há essa linguagem que os caras da equipe vêm até mim e dizem: ‘Eu vi você e Tim discutindo a cena e não tive idéia do que vocês estavam dizendo. Eu não entendia uma palavra.’ Mas há algum tipo de conexão que eu não sei como explicar, na maioria das vezes, pelo menos para mim, tudo que eu estou tentando fazer é fazê-lo rir. Mesmo na cena, você pode ter todas essas motivações e objetivos como ator e estas coisas, e então, quando eu entro no ringue, basicamente tudo vai pela janela e eu estou apenas tentando fazer Tim rir. Eu quero ver na minha visão periférica, eu quero vê-lo tipo agachado rindo tentando não fazer barulho.” Johnny Depp.

Espero que tenham se fartado neste banquete tão inusitado quanto os ingredientes usados para prepará-lo. Afinal, uma refeição onde se tem tesouras, cashemere, cadáveres, chocolate, sangue, mercúrio e uma pintada generosa de beleza como ingredientes, é no mínimo para ser degustada com muita imaginação. E aqui vai a dica do chefe : “ para acompanhar este banquete nada melhor do que bons amigos , um toque de amor e uma bela taça de vinho” porque ninguém merece ficar a seco, não é? 😉

Ah! Aqui está a cerejinha do bolo…

1. Agradecimento a Beatriz D do Fórum DL que nos trouxe este material maravilhoso parte do livro “O estranho mundo de Tim Burton”.

2. Para quem quiser saber mais sobre alguns destes personagens maravilhosos e sobre Tim Burton, há vários posts neste Blog : ‘Edward’, ‘Louco como um Chapeleiro’, ‘ O Sweeney Todd de Johnny Depp’, ‘ Um padrinho muito especial’,’ Uma amizade e tanto’. Estão todos à sua disposição, é só passear pelo Blog e se divertir! 🙂

18 thoughts on “Johnny Depp à la Burton mode

  1. Oláaaaaaaaaaaaa!
    Parabéns pelo post, Ninalee!
    Muito gostoso mesmo esse banquete… me deliciei e já estou programando comprar o livro “O Estranho Mundo de Tim Burton”, faz algum tempo, agora vou agilizar a compra… quero saber mais sobre esses dois seres magníficos! Realmente, almas em sincronia, como diria uma amiga minha…
    Ah! O vinho, tinto de preferência, beberei depois, ainda saboreando o gostinho do banquete…

  2. Salete disse:

    Tenho me deliciado desde que a Beatriz começou a postar trechos deste livro no fórum. É imperdível. Também quero comprar. Muita informação e leitura agradável. Como sou viciada em bastidores, adoro. Falar em bastidores adorei ninalee, as fotos, maioria de bastidores 😀
    Muita coisa a citar aqui, nem dá. Vou então na mais fútil, talvez, mas muito verdadeira:

    “Ele fica tão bem de mulher que me irrita” diz Sarah – Jessica Parker. “Para começo de conversa, ele é um homem bonito, e então você o veste de mulher e ele fica bem melhor do que eu. E com belas pernas.”

    E o roteirista acrescenta:
    “Não queríamos um ator que despertasse risos ao se vestir de mulher. Johnny anda como um motorista de caminhão. Não tem nada de efeminado nele.”
    Parabéns pelo post! Publicando as 4hs da manhã, imagino o trabalho que deu! 😉

  3. CamilaD disse:

    Nossaa, realmente dá pra esses dois fazerem um livro só sobre a história de trabalho deles, é realmente incrível a sintonia desses dois, são verdadeiros amigos, que se entendem pelo olhar.
    Impressionante a parceria de talentos e o mesmo gosto por histórias e personagens estranhos que temperam a nossa vida. Obrigada pelo post meninas! Saborear ele foi realmente prazeroso! Eu adoro vinho tbm. 🙂

  4. Sttephany disse:

    Meninas este post ficou lindo!! Parabens!! 4hs ?? Nossa,deu trabalho mas valeu a pena!!! Muito a pena!!
    Estes dois são realmente incriveis,eles se dão por inteiro no que fazem,acho que por isso os trabalhos saem sempre maravilhosos!!
    Duas lendas vivas do cinema,isso sim!
    Este livro parece ser otimo mesmo,ele traz o que não vemos nos filmes,a relação de amizade e o profissionalismo deste dois.
    Adorei as citações do livro, não resisti a dar uma risada com essa que a Sa postou! Ele fica bem de qualquer forma!!! S2 !! (Aaaaaaaaaah nina essa cereja do bolo.. 🙄 hahaha morri! )
    Me deliciei com este banquete!!! :mrgreen:
    Parabéns a todas que participaram do post! Lindo!!
    Bjs!!

  5. Thais disse:

    AMO Johnny e AMO TIM… É o Encontro Perfeitos do Cinema…
    ADORO D+….
    AMO Esses dois loucos, estrelas mais q brilhantes, talentos que ficaram eternizados…
    Q post mara… Adorei cada detalhe… Parabéns pelo Post.
    Bjssssss

  6. E J O disse:

    Obrigada, Ninalee e Bea, por este trabalho lindo!
    Burton e Johnny são a extensão artística um do outro! Cada trabalho que fazem juntos é mágico!
    E a cerejinha é deliciosa!

  7. Rosa Maria disse:

    Oi Ninalee, parabéns mais uma vez por um post tão lindo. Ficou ótimo, e conseguiu resumir um verdadeiro mundo de informações, quando o assunto é Tim e Johnny, ainda com direito a uma magnífica “Cereja do Bolo”.
    Gostaria de acrescentar uma frase do livro O Estranho Mundo de Tim Burton. Na página 107, o autor descreve um dia de filmagem de Edward, dizendo: ” A única pessoa mais despenteada que Depp é Burton”, e depois de descrever o diretor, diz: “Amontoados naquela pequena sala, ele e Depp parecem irmãos mutantes.” 😉

  8. Lara P. disse:

    Que post delicioso, não? Ainda estou saboreando cada pedaçinho… obrigada, Ninalee!

  9. heleusiane disse:

    Meninas, adorei o post. Super legal mesmo!!!! Não sabia muito sobre a relação e amizade deles… como tudo começou, etc…
    Parabéns pelo post! Parabéns ao Tim e ao Johnny pela parceria, amizade e belo trabalho que têm realizado ao longo de tantos anos. Para nosso deleite e felicidade! 😆 😆
    Isso sim é amizade verdadeira! Lindo!!! 😛

  10. Luciana disse:

    Ahhh! Nada como um post desses pra nos deixar mais ansiosas para Dark Shadows. Sinto que nos próximos meses começarão a sair fotos do filme, fotos do elenco e também videos! Cruzando os dedos para termos mais materiais dessa parceria que traz coisas maravilhosas! 😉

    Ótimo post Nina! Valeu muito Bea! E pensar que ela ainda pediu permissão pra postar sobre o livro no fórum, haahhaahahah nem precisava né! :mrgreen:

  11. maya moon disse:

    Os personagens que Tim cria são incríveis mesmo!!! e são perfeitos para o Johnny!!! E foi através de um desses perssonagens, o Edward, que eu conheci e me apaixonei por esse encanto que é o Johnny 🙂 Adoro O Tim ele é um dos meus diretores favoritos!!!! Amei o post 😀

  12. Stefany Hilleke disse:

    Simplesmente não tem como ser fã do Johnny e não se tornar automaticamente fã do Tim burton também! A amizade deles é maravilhosa e me lembra muito a que eu tenho com a minha irmã gêmea hehe, sabe, de se entender pelo olhar e etc..
    O post ficou liindo e morri com o ”Ah! Aqui está a cerejinha do bolo…” hahahahaha tão de parabéns 😀

  13. Jaquee disse:

    Ameeei esse post! A junção Tim Burton + Johnny Depp só pode dar nisto. Um compreende com facilidade aquilo que o outro quer transmitir. O Tim tem a ideia e o Johnny a materializa. São fantásticos!!!
    Obrigada pelo post Nina, e obrigada Bea pela cerejinha :mrgreen:

  14. Lu.Moraes disse:

    Nina belo trabalho.Ver o Johnny falar do Tim ou vise-versa e sempre maravilhoso tem encanto,amizade e muita sinceridade.Amo muito tudo isso.

  15. Isah S. disse:

    Um dos melhores posts q eu ja li …

    deu ate pra sentir o sentimento e a dedicação que existe entre os 2 , ameii *.*

    Eh cada vez mais dificil nao se emocionar aki rs … Brigadao meninas s2

  16. Elisa disse:

    Nossa, maravilhosa a reportagem! Eu inclusive me interessei e já estou comprando o livro do Tim!
    E já favoritei o link q pretendo colocar na comunidade do Johnny, pq adorei mesmo a matéria e as fotos.

    Só gostaria de fazer uma correçãozinha… o filme “A Fantástica Fábrica de Chocolates” não começou a ser filmado após as filmagens de “Em Busca da Terra do Nunca” e sim após o lançamento (premiéres e tal) deste. O filme sobre James Barrie foi filmado na verdade em 2002, tendo sido lançado em 2004.

    “A Janela Secreta” foi filmado em 2003 e “A Fantástica Fábrica de Chocolates” em 2004, quando “Em Busca da Terra do Nunca” já tinha ido para os cinemas.

    Novamente PARABÉNS pela matéria. ADOREI!!!

  17. Ninalee disse:

    Obrigada meninas,fico feliz que voces gostaram. Esta dupla dinamica é imbativel mesmo! :mrgreen:
    Elisa, voce esta correta . Eu apenas dei uma resumida para encurtar a historia. Foi isto mesmo: Durante a Janela Secreta o convite foi feito e logo apos o lancamento de Neverland é que eles comecaram a filmar a Fabrica.O que voce deve ter achado que foi erro é porque usei o termo “apos as filmagens” , talvez teria sido melhor ter usado “Apos o lancamento” de Neverland. Obrigada pela atencao 🙂 .

  18. Pingback: Tim & Helena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

«
»