Ninalee vai ao encontro de Johnny Depp : “Just believe – Part II”

 

06 de Dezembro de 2010. Acordei cedo e olhei pela janela do meu hotel. Neve, a primeira neve de Nova Iorque, pequenos floquinhos enfeitando a paisagem da cidade. Pensei “este será um dia especial”. A neve chegou para anunciar mais frio, mas também para dizer que a época do Natal chegou , meu pedido de aniversário e Natal estava prestes a acontecer.

Na noite anterior, eu e a Clara tínhamos ido até ao Ziegfeld Theater sondar e obter informações. Vimos as barricadas que seriam montadas e falamos com a vendedora de bilhetes, que nada sabia. Já bateu ansiedade. 

Depois de me encapotar toda, colocar camadas e mais camadas de roupas fui para o Ziegfeld Theater. Cheguei ao teatro as 9h40min junto com uma amiga. Os floquinhos continuavam a cair, agora com mais intensidade. As barricadas já estavam montadas do lado oposto do teatro ao longo da rua toda e já havia duas pessoas no local, devidamente montadas para agüentarem o frio e a longa espera. Cadeira, comida, bebida ( rum 🙂 ) e muita disposição. Logo fiz amizade e já comecei a colher informações e a tagarelar sem parar. A mulher havia viajado da Florida só para ver Johnny, ficou espantada quando falei que tinha vindo do Brasil “Eu pensei que tinha vindo de longe, mas você me superou!”, disse ela. Nesta altura, até eu achei que tinha ME superado. Devido ao frio intenso, as pessoas não se aventuraram a dormir no local ou irem cedinho pra lá, mas por precaução eu e minha amiga ficamos lá guardando lugar – não queria arriscar a perder a ala VIP, bem em frente da porta e no meio da barricada. – nos revezamos em buscar café e ir ao banheiro até que a Clara e a mãe dela chegassem. Elas Chegaram as 11 da manhã, e ainda não havia muita gente, as duas pessoas que já estavam quando cheguei, duas mulheres mãe e filha muito legais e animadas, e as brasileiras maluquetes do DL 🙂 .

Bem, o tempo foi passando e a gente ia se revezando no café, banheiro e afins. Eu aproveitava o tempo para falar com todo mundo em volta, segurança, fãs qualquer um que poderia dar informação. As duas mulheres, Myrchard e Samantha haviam estado no David Letterman no ano passado e me deram todas as dicas de onde ficar e como fazer 😉 .Elas tinham chegado cedo e tinham conseguido falar com Jerry que estava na porta do teatro, entregaram um cartão de Natal para ele dar para o Johnny. Muito fofo! Elas perguntaram. “Você é o segurança do, Johnny”?”, e ele “Não”, “ É sim, nós sabemos.”, elas disseram. Ele abaixou a cabeça tipo “ok sou” e elas pediram para ele se ele entregaria o cartão, ele disse que sim e colocou o cartão no bolso.

O clima entre nós era super legal, tranqüilo e animado. Nas horas em que parecia que frio iria nos vencer e sugar todas nossas energias, alguém passava perguntando o que estava acontecendo e gente se animava e gritava: “Estamos aqui pelo Johnny” e então, uma gritava “ Johnnyyy!” e assim a coragem voltava e enfrentávamos o vento gelado que não dava trégua.

 As horas foram passando, foi escurecendo – o sol vai embora cedo no inverno – e a neve tinha parado de cair. Eu conversava com todo mundo, seguranças, pessoas curiosas na rua, fãs. Todo mundo. Os seguranças com caras de bravos, cumprindo com seu papel – avisavam “Não empurrem, não coloquem sacolas no chão, não causem tumulto ou vamos retira-lo do local. Avisem a todos que chegarem.” E com isto, a gente ia passando a informação para o povo que começava a chegar. Todo mundo respeitando e sendo cordial. Afinal, estávamos ali para ver Johnny e não queríamos estragar o momento. Havia muitos caçadores de autógrafos em volta, mas eles estavam tranqüilos, dando informações de que tinham visto Johnny no hotel, ele estava hospedado no The Ritz. 

Perto das 5 horas a pessoas começaram a se aglomerar nas barricadas. Estava chegando o momento. Os seguranças a postos e tudo pronto lá carpete vermelho – eles tinham aquecimento 🙁 .  As 6:30 da tarde já estava bem escuro, passam por nos três SUVs pretas , eu  reconheci Jerry no banco da frente da primeira. Gritei para as meninas “That’s him!” “That’s Johnny!” “ No primeiro carro!”. E aí, a adrenalina subiu aos ares! Frio??? Não havia mais. Só um calor de felicidade! Jerry abriu a porta da SUV e Johnny saiu de lá de dentro, tranqüilo, sereno e rápido.Vestindo um terno de risca de giz preto ( o mesmo da Premiere de Public Enemies ), óculos Lemtosh, cabelos soltos, os seus mais novos adereços, lencinhos desbotados azuis, verdes e vermelhos,camisa azul tipo jeans, sapatos bicolores preto e marrom, os famosos anéis e um lindo sorriso!  Conduzido por Jerry e mais alguns seguranças – gente como ele tem seguranças! Um batalhão! –ele foi para o começo da fila e começou a tirar fotos e autografar com os fãs. Nós ali, de pescoços esticados esperando nossa vez, gritos – na minha mente um silencio absurdo, como um filme mudo – ele veio se aproximando e cada vez mais, as pessoas atrás da gente começavam a nos apertar contra a barricada.

Finalmente ele chega até a Clara, pega o desenho do Jack Sparrow que ela fez, olha com cuidado e pergunta se foi ela quem fez. Aaaahhhh ! Lindo ! Ela responde que sim e ele elogia dizendo que é bonito. Assina o desenho e vem até mim. A minha amiga ficou encarregada de fotografar, estava animadíssima – ela não é fã como nós, mas no momento se tornou uma – gritava “Nos somos do Brasil!” e ele respondeu ” Oh, really? That’s nice.”( “Ah é? Que legal.”). Ele estava na minha frente, eu entreguei a foto do Frank para ele assinar e disse para ele em voz baixa, sem gritar “ I’m from Brasil. Just to see you, Johnny.” ( “ Sou do Brasil. Só para ver você, Johnny”) e então, senti uma mão no meu braço direito, fazendo carinho – como se estivesse coçando de leve com os dedos – levemente. Olhei nos olhos dele e ele estava olhando diretamente para os meus olhos e ele disse “Thank you”. Eu sorri e não consegui dizer mais nada, ele seguiu assinando as outras fotos até o fim da fila, acenou para a multidão e foi para dentro do toldo branco para fazer a parte “chata” que todas nós sabemos que ele detesta. Posar para fotógrafos e falar com a imprensa. Muitas pessoas foram embora depois que o Johnny se foi, mas nós ainda ficamos ali para ver Angie e Brad – que vieram no pacote de brinde! :). Eles chegaram 5 minutos depois, no mesmo esquema do Johnny. Muito simpáticos e lindíssimos assinaram fotos, meu caderno – não tinha fotos deles –  falamos para os dois que éramos do Brasil e eles reagiram com um “ É mesmo??? Que legal!!” e um belo sorriso. Fomos embora nos aquecer e comer uma pizza e tentar tirar o sorriso que estava colado em nossos rostos e que teimava em não sair.

David Letterman

 No dia seguinte juntei todas as forças que sobraram e fui para a Broadway em direção ao Ed Sullivan Theater, onde é gravado o Late Show do David Letterman. No dia anterior minhas mais novas amigas, Mychard e Samantha haviam me contado que era melhor não tentar ingressos para o show porque depois não seria possível ver o Johnny e pedir autografo. Mesmo assim fiquei numa dúvida louca, “Será que tento participar do show???” Cheguei ao teatro as 10:00 e perguntei como seria o esquema da gravação, os assistentes super simpáticos me informaram que seriam formadas as barricadas na rua ao lado – na 53rd Street – e se eu quisesse poderia fazer pedido para os ingressos e participar do show. Ai que dúvida! O que fazer ???. Eu e minha amiga preenchemos os formulários de pedidos, mas na ultima hora decidi que queria ficar lá fora, nas barricadas. Deixamos os formulários para trás e fomos para a 53rd street.

Apesar de não estar nevando, o frio estava pior que no dia anterior. O vento castigava e eu pensava, “Meu Deus, não vou agüentar.” Sério! Estava uma coisa de doer os ossos. Mas não queria desistir. Não podia desistir. Não deixaria nada impedir de ver Johnny mais uma vez. Estava lá para isto. Então, reuni tudo dentro de mim e disse para minha amiga “Você está liberada para ficar ou ir embora. Não quero que você fique presa por minha causa neste frio. Vai que eu fico aqui. Daqui a pouco a Clara chega.” Ela disse “ Vou no hotel buscar um cobertor pra você se proteger e volto logo” E ela foi . Assim que ela se foi já encontrei duas pessoas que estavam lá esperando Johnny também. Começamos a conversar, uma delas era um cara da França, ele me falou de como a Vanessa é famosa e querida lá.  Era quase meio-dia quando a Clara e a mãe dela chegaram e juntaram-se ao nosso pequeno falante grupinho. Desta vez não havia lugar para esquentarmos ou ir banheiro, ficamos o tempo todo no frio e vento, marchando no mesmo lugar para não endurecer os dedos dos pés –se tivesse um pedômetro, iria marcar uma distância como de São Paulo ao Amapá ! kkkkk .

Olho para o lado oposto da rua e vejo Jerry conversando com seguranças, dando ordens compenetrado, sério. Tirei fotos dele. Ele entrou em uma SUV preta e se foi. Sabíamos que Johnny estaria a caminho, apesar de ainda faltar umas duas horas para ele chegar, mas só o fato de ver Jerry, já reanimava minhas forças que o frio tentava minar.

 As pessoas foram chegando mais rápido desta vez e aí percebi que o negócio não seria tranquilo como foi no dia anterior. Minhas amigas americanas haviam me avisado que iria ser bem intenso e tumultuado. Uma apreensão bateu lá no fundo “Espero que tudo corra bem”. Desta vez havia muito mais caçadores de autógrafos e eles não eram tão legais assim. Minha amiga chegou com o cobertor e eu pedi para que desta vez ela filmasse.

Às 4 horas param três SUVs pretas em estilo comboio. Eu, mais uma vez, enxergo Jerry na primeira e já grito “Ele está na primeira!” Começa o zunzunzum e o empurra empurra. Johnny desce do carro vestindo um casaco xadrez, marrom e azul ( o mesmo da Premiere de Alice), jeans desbotados largos e rasgados, camisa azul, os lencinhos, chapéu Fedora furado, óculos de lentes azuis Zulu, botas, os famosos anéis. Posa um pouco para os fotógrafos e se vira para nós, então eu abanei a mão e gritei “Johnny!”, ele se virou em nossa direção e abanou a mão de volta! Aaaaahhhhhhh!

Jerry o conduziu para o Teatro e tudo ficou calmo novamente. Algumas poucas pessoas foram embora. Nós permanecemos imóveis ali por mais meia hora.

Enquanto esperávamos, eu e mais outra nova amiga americana, ficamos tentando fazer contato com um dos motoristas das vans- na verdade já vi fotos dele perto do Jerry, ele deve ser da equipe de seguranças -, fazíamos sinais do tipo “Deixa a gente entrar aí dentro que está quentinho?” e ele olhava de volta e sorria. Depois de um tempo este mesmo segurança, desceu do carro e veio em nossa direção para conversar, disse para que mantivéssemos as fotos baixas, que não colocássemos nada na frente ou na cara do Johnny e que se quiséssemos entregar alguma coisa para o Johnny deveríamos dar para os seguranças ao lado dele, nunca para ele direto. Falamos que tudo bem e ele disse “ Nossa! Vocês devem estar congelando aqui.” E nós respondemos “Imagina! Tudo pelo Johnny !” ele riu como se não estivesse acreditando na nossa loucura.

Meia hora depois começa a movimentação de seguranças. As SUVs se enfileiram de forma para partir rapidamente se fosse preciso. E aí ficamos alertas, Johnny estava saindo do teatro. A porta se abriu e ele apareceu vestindo outro casaco, desta vez era xadrez de azul e branco de lã , e mudou os óculos para os Lemtosh. Ele foi para o começo da fila e muito agitado e rápido assinava as fotos. Os paparazzi estavam a mil por hora e os seguranças do Johnny tiravam as fotos que os caçadores colocavam na na frente do rosto do Johnny, rasgavam e jogavam no chão. Jerry protegia Johnny contra as mãos e fotos no rosto e havia mais quatro seguranças ao lado dele dois de cada lado. Mas mesmo assim, com todo este tumulto, Johnny parecia tranqüilo, calmo sorrindo para os fãs- como se estivesse num mundo só dele.

Quando ele chegou na minha frente, uma porção de fotos cobriram meu rosto, eu me espremi para frente e dei mais uma foto para ele assinar. Na outra mão eu tinha um livro que queria dar pra ele, tentei dar para o Jerry, mas ele estava muito ocupado protegendo Johnny e então, me lembrei do que o segurança tinha me falado antes, me virei para um dos outros seguranças que estava ao lado de Johnny e disse “ Por favor, entregue isto para o Johnny .”, ele pegou o livro e disse “ Para o Johnny?”,  e eu “ Sim” , ele entregou para o Stephen – secretário particular do Johnny – dizendo que era para o Johnny . Stephen pegou o livro e colocou no bolso do casaco e eu gritei “Stephen, certifique-se de que Johnny receba. É um presente para ele do Brasil!” “e minha amiga que estava filmando disse” É do Brasil!”. Ele disse “Tudo bem.” E assentiu com a cabeça sorrindo – parênteses : O Stephen é um gato ! Lindo.

Johnny acabou de assinar a fila toda voltou para as SUVs e foi até uma menininha com a mãe que estavam esperando por ele. Tirou fotos com as duas e abraçou a menina, nesta hora todos que estavam nas barricadas fizeram “ Oooooohhhhh!” Foi lindo! Entrou na primeira SUV e se foi rapidamente nos deixando mais vez aquecidas com o calor da sua presença.

PS:Quando estávamos indo embora minha amiga achou no chão uma foto do Jack Sparrow toda rasgada mas com autografo, ela pegou pra ela e disse “cada fã com o autografo que merece!” kkkk.

 PS2: Eu já disse isto lá no fórum, mas vou repetir pra vocês aqui. Johnny é uma pessoa especial. Sua aura vibra em uma sintonia diferente. Senti em volta dele uma calma, e tranqüilidade. Seus gestos são leves, cuidadosos. Mesmo diante de uma multidão, ele parece não notar o tumulto. Ele é diferente, é espiritualmente mais evoluído. Dá para sentir isto perto dele.

 Desculpem o tamanho do post, mas queria passar para vocês tudo que vivi nestes momentos de verdadeira realização. Realizei mais que um sonho. Eu cumpri um plano que havia traçado para mim, como escrevi no meu post deste blog “Just believe”. Johnny me ensinou a acreditar que todos os caminhos são possíveis, alguns são mais longos e mais demorados, mas são estes que nos ensinam a ter garra para vencer.

“Just believe” – James M. Barrie , Finding Neverland.

A Jay vai postar minhas fotos na galeria do DL. Aguardem 🙂 . Estas duas fotos que ilustram o post são minhas particulares. Por favor nao divulguem em outros sites.

26 thoughts on “Ninalee vai ao encontro de Johnny Depp : “Just believe – Part II”

  1. Carol disse:

    Meninas nada a dizer. Parabéns, mils parabéns. E Johnny como sempre supreeendente. Vcs tiveram garra e acreditaram em um sonho. Isso é ponto essencial para o alcance de qualquer coisa, continuem assim!

    Beijos de mais uma fã LOUCA pelo Depp e suas ecentricidades apaixonantes.

  2. Gisa disse:

    Vocês fazem com que a gente também viva esse momento. Obrigada ♥ É lindo demais! Dá pra imaginar e sentir uma coisa especial, porque tu Ninalee, descreveu tudo tão bem…se pra nós é algo maravilhoso, imagina pra vocês que viram ele de pertinho, meu Deus! Parabéns por tudo ♥

  3. Salete disse:

    Nossa!!!!!!! O post era grande? Nem percebi, ficaria lendo o dia inteiro.
    O Stephen entregou o livro sim, porque não entregaria? Só de pensar que ele vai ler esse livro…Agora, qdo alguem falar em Brasil perto dele, ele vai lembrar que aqui tem fãs. Agora ele sabe que nós existimos.
    Tive que rir com o autógrafo rasgado D: Ah..eu queria um autógrafo do Jack rasgado.
    Sei que tu passou a noite aí escrevendo isso cuidadosamente. Obrigada por passar todos os detalhes.

  4. EJO disse:

    Olá, Ninalee! O seu relato é muito emocionante. Obrigada por nos deixar compartilhar dessa sua felicidade.TAMBÉM ACHO QUE jOHNNY É UMA PESSOA MUITO ESPECIAL,espiritualmente evoluído.Ele está no extremo oposto da brutalidade humana,é a essência da delicadeza masculina e é um verdadeiro artista!Minha admiração é imensa,por ele e também por vocês-Depploucas-pois fazem um trabalho muito sério e competente. Mas…falando sério: continuemos a “babar” desavergonhadamente!!!!!!!!!!!

    Beijos a todas!

  5. karina disse:

    Quase chorei, incrível Ninalee! *-*

  6. Jaquee disse:

    ai Nina, que post lindo *-* maravilhoso mesmo! sim, é grande, mas dá um prazer tãaaaao grande em ler ele.. nem parece que é tão grande! deve ter sido uma coisa maravilhosa estar frente a frente com nosso amado.. e o autografo rasgado no chao? EU ACEITARIA NUMA BOA! nem me importo kkkk..
    parabens Nina, por realizar seu sonho, e por nos fazer acreditar que é possivel (:

  7. Jeeh disse:

    Emocionante Nina. Também nem reparei que o post era grande. Leria-o mais muitas vezes.
    Achei engraçado também a hora do autógrafo rasgado, mas fiquei com dó dela, acho que pelo jeito que ela falou.
    Com esse seu relato, eu também vi as coisas como se estivesse estado lá, pertinho do Johnny.

  8. Lu.Moraes disse:

    Sem palavras,so lagrimas…

  9. Ninalee disse:

    Sobre o livro. Eu levei um livro de poemas brasileiros para ler lá na viagem. O livro chama-se : “An Anthology of Twentieth-Century Brazilian Poetry “( podem encontrar na amazon.com ), sao vários poetas brasileiros numa compilacao. O legal é que em uma folha tem o poema em portugues e do outro tem a traducao em ingles 😉 . Coloquei uma dedicatória bem simples. Espero que tenha sido entregue e que ele goste.

  10. Sabrina disse:

    Perfeito! ♥ Obrigado Nina por compartilhar conosco 😀 Muito emocionante,adorei os detalhes 🙂

  11. Maiara disse:

    Chorei feito um bebê lendo o post …
    parabéns pelo sonho realizado e por representar a casa um de nós,
    fãs brasileiros 😉

  12. Carina disse:

    liiiindo! tudo muito lindo!

    Muito obrigada pelos detalhes, faz a gente sentir pelo menos um pouco do que é estar frente a frente com o Johnny. Me emociono cada vez que leio que ele tem uma calma, uma paz em volta dele .. sentir isso de perto deve ser algo indescritível *-* Parabéns ao DL <3

    PS: fiquei curiosa para saber como o Stephen é =X KKKKKK

  13. ro disse:

    Nina, já nem sei como agradecer o que tu e Clara fizeram por todas nós.
    Vivi cada trecho do teu depoimento, inclusive as emoções, tão pessoais.
    Que aventura!
    Frrrriiiiooo!
    Tudo pelo Johnny.
    Momento lindo. Momento Johnny Depp.

  14. Bree disse:

    Valeu Nina pelo post emocionante *—* Juro que praticamente me imaginei lá no frio de matar, vendo o Johnny sair apressado do carro!! Só desejo ter a oportunidade de fazer algo assim que nem vocês um dia!!! Lindo demais, tudo pelo Depp mesmo!
    Just believe =)

  15. Ana disse:

    Ninaaa.. valeu quase virar picolé messsssmo!
    eu tbm nao ia embora por nada.

    Obrigada Nina por trzer o JD mais perto da gente.
    tornar ele “mais real”.
    rsrs

  16. Naty Romero disse:

    gente qta emoção!!! vale tudo mesmo pra ter um momento desse! espero q nao seja uma única vez!!

  17. VICK disse:

    Foi simplesmente lindo ! Estou sem palavras *-*
    chorei muito (:

  18. Iris disse:

    Chorei, daria TUDO para estar no seu lugar. mas o destino não permite..

  19. Rayanne disse:

    Nossa, como você conseguiu ? Como saber onde vai encontrar, em que cidade dos states. Nossa! Pelas minhas condições é algo quase impossível eu poder ir ao encontro dele como você foi!
    Faria qualquer coisa para está no seu lugar… Não sei se um dia consigo, mas eu acredito, acredito muito!
    Não conheço literalmente ninguém que seja fã do Johnny. Minhas amigas são mais fãs de Restart e Robert Pattinson.
    Quando li esse post, quase chorei. Falei comigo mesma, “será que eu terei um dia essa sorte também”?

    Se eu tivesse um grupo a qual me associar… Mas é somente eu …rs

    VocÊ é uma menina de muita, mais muita sorte! Parabéns /1

  20. Mariwonka disse:

    Ahhh que emocionante, tenho certeza de que vcs levaram dentro de si um pouco de cada uma de nós fãs, nos representaram muito bem por lá!

    Hein, estou meio desorientada, vcs tem algum post em algum lugar sobre toda a saga? Quens participaram desse plano estratégico pra encontra-lo? Beijos

  21. Núbia disse:

    Eu adorei seu relato,e parece q passei por td junto d vcs meninas!! A qrida salete recomendou eu comentar.Ja q eu apenas tinha comentado meu apresso no twitter!!Adoreeiii …Karina e Ninalee..parabéns por td q ocorreu nesta viajem de vcs!!Abraços…

  22. yara disse:

    gente…. no coments im so jealous…..

  23. Emylie disse:

    Que post lindo! Me emocionou muito, adorei mesmo *_*

  24. Ana C disse:

    Que lindo Adriana!! Combustível para os meus sonhos!!

  25. Bárbara disse:

    uuuuaaauuuu ! q sorteeeeeeeeee 😆

  26. Toldos disse:

    Exatamente o que procurava, obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

«
»