Um funeral mais que especial – JD e The Ginger Man

Johnny Depp possui um fino senso de humor, sutil, elegante e muito peculiar.

Suas respostas e observações emitidas por ocasião de entrevistas, carregadas de ironia e sinceridade desconcertantes, muitas vezes são mal interpretadas ou utilizadas de forma desvirtuada por certo tipo de imprensa ou redes sociais.

Em novembro de 2011, em entrevista à revista alemã TV Movie, divulgando o filme The Rum Diary, Johnny comentou sobre o funeral do amigo Hunter Thompson, que ele patrocinou em agosto de 2005, e como desejaria que fosse seu próprio funeral, disse:

“Talvez eu pudesse ir em um barril de uísque e todos poderiam tomar um gole… Hunter sempre sonhou com uma maneira especial para ir. Ele queria ser disparado de um canhão construído pelo próprio esforço. Brilhante! Então eu construí um enorme canhão depois de sua morte em 2005, e disparei suas cinzas para o céu”.

Isto bastou para que volta e meia alguma página do Facebook ou outras mídias, coloquem a frase em discussão, como se houvesse necessidade de aprovação ou não, seguida de inúmeros comentários grotescos sobre alcoolismo.

Como estas pessoas desconhecem a instrução ampla e variada de Johnny, e seu amor pelos livros, não sabem que esta frase remete a um de seus livros preferidos, The Ginger Man – de J.P.Donleavy, publicado no Brasil com o título “Um Safado em Dublin”, pela L&PM Pocket.

Ver Coleção Essencial de Johnny Depp aqui

127020

No livro, em sua página final, o personagem Sebastian Dangerfield diz:

“Quando eu morrer quero me decompor num barril de vinho do Porto e fazer com que depois seja servido em todos os bares de Dublin. Gostaria de saber se descobririam que era eu”.

Ao discorrer sobre sua coleção essencial, Johnny disse a respeito deste livro:

“As aventuras de um incorrigível Sebastian Dangerfield. Rebelde, voluntarioso e totalmente desonesto. Esta lírica, cômica maravilha foi me apresentada por Hunter. Todo homem deveria ler esse livro e gastar pelo menos uma noite de sua vida representando sem remorso este horror de um indivíduo!”.

E Johnny é tão apaixonado por este livro, que há 16 anos ele vem tentando trazê-lo para a vida, como gosta de dizer, ou seja, adaptá-lo e transformá-lo em um filme. O processo, entre idas e vindas, teve início em 1998, quando ele foi a Dublin negociar um roteiro com Donleavy, num projeto que envolvia o músico Shane Macgowan, porém sem sucesso. Em 2005, houve relatos de novas discussões e Johnny chegou a encontrar-se com Donleavy nas comemorações dos 50 anos de lançamento do livro.

DonleavyDepp

Em 2006, as coisas voltaram a tomar forma, com Johnny escolhendo o diretor Laurence Dunmore (The Libertine) para a empreitada.

Com o sucesso de Piratas do Caribe e os inúmeros compromissos, o projeto perdeu força, porém, no verão de 2008 Johnny retornou à Irlanda e em 2009 Donleavy declarou estar com esperanças de que tudo desse certo e em 2011, Johnny disse à Fox News que ainda tinha toda a intenção de fazer este projeto, que este era um sonho que gostaria de realizar antes de sua aposentadoria.

donleavy

Finalmente, em 03 de novembro de 2013, quando estava filmando Mortdecai em Londres, Johnny voltou à Irlanda e se encontrou novamente com J.P.Donleavy. Desta vez o encontro ocorreu em um almoço no “Weirs Bar and Restaurant”, em Multyfarnhan, um autêntico Pub Irlandês.

004~463

Johnny e a família dos proprietários do Weirs Bar and Restaurant

Isto apenas vem confirmar que o projeto continua vivo, e que talvez em breve tenhamos a oportunidade de finalmente ver este personagem ganhar vida nas telas.

Donleavy, que nasceu em Nova York no ano de 1926, mudou-se para a Irlanda depois da II Guerra Mundial e até hoje mora em uma fazenda em Levington Park, há 50 milhas de Dublin, onde continua escrevendo sempre a mão. The Ginger Man chegou a ser censurado-e banido nos EUA e na Irlanda – por ser considerado obsceno, mas hoje está na lista das 100 melhores novelas da Modern Library. O personagem principal de Donleavy, o fascinante canalha Sebastian Dangerfield, foi inspirado em um amigo americano do escritor: Gainor Stephen Crist.

Don1583

The Ginger Man é o romance picaresco que faz todos pararem. Vigoroso, violento, loucamente divertido, ele é a malemolência da malandragem, uma clamorosa canção cômica sobre sexo. Um crítico na Inglaterra – onde o livro teve um sucesso surpreendente – o chamou de “uma contribuição inequívoca para o tema dos “jovens homens furiosos”“. (Dorothy Parker- em 1958 para a Revista Esquire).

10009800_660373560667136_5281616184935737499_n

Como costumamos dizer, todas as palavras e comentários de Johnny Depp têm um sentido, uma ligação, uma motivação muito além das simples palavras.
Rosa Maria.

13 thoughts on “Um funeral mais que especial – JD e The Ginger Man

  1. Adriana disse:

    É isso aí . Um filme é com um filho leva décadas para ser produzido, criado, amadurecido até chegar a nós. The Ginger Man é ainda um projeto super possível e eu pessoalmente espero que Johnny o realize, pois a história é fantástica e a cara dele.

  2. Luzmarilda disse:

    Vou procurar esse “Um safado em Dublin” louca pra conhecer esse danadinho do Sebastian Dangerfield.
    Rosa,obrigada.

  3. Salete disse:

    Obrigada Rosa Maria! Um belo amarrado de informações e esclarecendo mais uma das tramoias ardilosas que os tabloides usam para serem lidos.

  4. Mônica disse:

    Se essa história virar filme,o Johnny ainda poderia interpretá-lo?

  5. CamilaD disse:

    Tá aí. Mais um livro para a gente ter na coleção. 😛
    E Rosa, seu post é uma defesa das palavras de Johnny, mostrando seus pensamentos e sua cultura inesgotável que poucos compreendem. obrigada.

  6. Ro disse:

    Maravilhoso Rosa! Obrigada! Não canso de dizer, temos cultura aqui.
    E estes são detalhes que eu desconhecia.
    Isso tudo só confirma o quanto tudo na vida de Johnny é consistente. O quanto o seu trabalho é fruto de paixão.

  7. Salete disse:

    Mônica, me parece que a idade não seria mais adequada para ele fazer o personagem principal. Nós temos juntado caquinhos ao longo do tempo, como naquele jantar na Irlanda, ano passado, o Cillian Murphy estava presente, desconfiamos que ele possa fazer este personagem.

  8. Bárbara jd disse:

    estou chocada estou chocada e estou chocada……que ótimo trabalho gente!!!!! aprendi tanta coisa com esse post!!!!! acho que vou imprimir ou copiar, de tanto que gostei desse post!!!!! amei!!!

  9. Mônica disse:

    Foi o que eu pensei.Obrigada Salete!

  10. Liu disse:

    Parabéns, Rosa! Informações preciosíssimas! Trabalho maravilhoso!

  11. Paloma G disse:

    Amei o post Rosa! Deu pra aprender mais sobre o Johnny e sua cultura. Muito legal!
    Obrigada!

  12. Heleusiane disse:

    Muito bom Rosa!!! Johnny é cultura e é muito bom ter acesso a estas informações tão preciosas.

  13. Rosa Maria disse:

    Obrigada meninas. Realmente esse pequeno apanhado mostra a profundidade do trabalho do Johnny, e o quanto ele respira, vive a boa literatura e o mundo das artes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

«
»