WM3

Oi gente. Foi um dia cheio aqui no DL. Como vocês sabem e já tomaram conhecimento na nossa Home, Johnny fez uma rara aparição no Red Carpet do TIFF ( Toronto International Film Festival ), assim como participou intensamente da divulgação do documentário “ West of Memphis”. Muitas pessoas perguntaram em twitter e facebook sobre este caso e por que Johnny se envolveu tão profundamente com Damien Echols.

Para esclarecer, e também contribuir da nossa maneira, eu decidi fazer um post contando toda história de West Memphis 3. Segurem-se, pois o assunto é “punk”! Espero que, como Johnny mesmo disse, vocês “tirem um tempo para ler e aprender sobre este caso.”

Quando Johnny apareceu em Agosto de 2010 em Little Rock, AR tocando junto com Eddie Vedder, Patty Smith , Natalie Maines entre outros num concerto chamado “Voices for Justice:Free West Memphis 3” fiquei super intrigada com o caso e por que Johnny estaria envolvido em algo assim. Comecei a pesquisar, ler as notícias, a história, tudo que consegui encontrar a respeito e digo para vocês, foi coisa que não caba. Mas enfim, o que me intrigou na época foi realmente o envolvimento de Johnny tão ativo nesta questão. Fui atrás e encontrei uma história triste, real e muito sofrida de três jovens acusados injustamente por um crime que não cometeram. Vou tentar resumir aqui tudo que consegui entender sobre o caso.

O que é o caso West Memphis 3

Em 06 de maio de 1993 a cidade de West Memphis no Estado do Arkansas se deparou com um crime hediondo, brutal e inexplicável. O assassinato de três crianças, meninos de 8 anos de idade. Eles foram mutilados, estuprados e mortos. A cidade logicamente se revoltou e uma busca parecida com caça às bruxas da Idade Média se iniciou. Uma recompensa por informações foi oferecida. Jesse Misskelley Jr., um jovem de 17 anos com problemas mentais- que não tinha qualquer relação com o crime – viu a oportunidade de ganhar este dinheiro e foi até a policia. Horas depois de sua ida até lá, acabou sendo acusado pelo crime junto com outros dois jovens: Jason Baldwin, 16 anos e Damien Echols, 18 anos.

A policia suspeitava de um envolvimento em rituais satânicos nestas mortes, mas nada foi provado além das lesões nas crianças.

Ao que consta, Jesse foi forçado / induzido pelos investigadores a confessar o crime e com isto acabou criando uma história que também envolvia Jason e Damien. No dia seguinte da confissão de Jesse, Jason e Damien foram presos. Eles eram os “culpados” perfeitos para a policia, pois já haviam sido presos anteriormente por vandalismo e roubo em lojas (não foi à mão armada, somente roubo de coisas pequenas que se carrega da loja). Damien e Jason eram amigos inseparáveis e ambos tiveram uma adolescência conturbada. Damien havia largado a escola antes de completar o Ensino Médio, já Jason era brilhante e tinha ótimas notas, mas era o melhor amigo de Damien que vinha de uma família pobre e que já havia sido institucionalizado em um hospital psiquiátrico por comportamento depressivo e tendência suicida. Mas, voltando ao caso…

Depois de um ano, em 1994 em um julgamento cheio de falhas, evidências forjadas, omissão de investigação e testemunhas suspeitas de estarem mentindo, Jesse foi condenado culpado e sentenciado à prisão perpétua e mais 20 anos de prisão, Jason foi condenado culpado e foi sentenciado à prisão perpétua e Damien , acusado de ser o mentor de todo este crime bárbaro, foi condenado culpado e sentenciado a pena de morte por injeção letal. Eles nunca se alegaram culpados e sempre mantiveram a declaração de que eram inocentes. Lembrem-se eles eram adolescentes entre 16 e 18 anos.

Não vou entrar em mais detalhes sobre o caso, pois há muita coisa envolvida. Muitas histórias, testemunhos duvidosos, investigações propositalmente mal feitas e presenças de provas incriminadoras sem base alguma em relação ao crime.

Depois do julgamento o caso foi dado como encerrado e arquivado. As “bruxas” haviam sido “queimadas”!

O documentário que salvou a vida de Echols

Durante a Press Conference em Toronto, Johnny mencionou o documentário “Paradise Lost”. Ele disse que resolveu se envolver depois que assistiu ao documentário. Fui ver do que se tratava. Mas antes uma história muito legal.

Lorri Davis é arquiteta de Nova York. Ela assistiu ao documentário “Paradise Lost” e imediatamente sentiu uma conexão com Echols. Ela decidiu escrever para ele na prisão e a partir daí os dois se apaixonaram e acabaram se casando em 1999, em uma cerimônia budista mesmo Damien estando na prisão. Vi uma entrevista de Lorri onde ela conta “Eu nunca havia encontrado alguém tão fascinante e que chamasse minha atenção como ele, eu não iria deixa-lo escapar.”. A repórter pergunta “Você se casou com um homem que nunca havia tocado ou beijado?” e Lorri responde com um sorriso sincero “Sim.”. A repórter ainda diz “Esta é uma decisão difícil…”, mas Lorri a interrompe dizendo “ Não, não foi uma decisão difícil de maneira alguma e não há duvida alguma sobre isto.” Nesta entrevista o que mais me emocionou foi o sorriso de Lorri durante toda a entrevista e em um certo momento a repórter diz “Mas se ele não sair…” e mais uma vez Lorri a interrompe afirmando com muita convicção “ Ele vai sair.”

Lorri se tornou peça fundamental e a maior representante da busca pela verdade e pela liberdade dos três convictos. Foi para ela que Johnny ligou após ver o documentário e perguntou como poderia ajudar.

Este documentário “Paradise Lost” reabriu o caso para a opinião pública. Revelava diversos detalhes omitidos na época da prisão e julgamento de Jesse, Jason e Damien. Ele foi exibido pela HBO dos Estados Unidos e chamou a atenção de milhares de pessoas que passaram a acreditar que estes três jovens haviam sido julgados e condenados e forma injusta e, então começaram a questionar o caso todo. A partir daí muitas outras evidências começaram a surgir e as pessoas iniciaram vários movimentos pela libertação dos três. O próprio Damien disse que este documentário salvou sua vida.

A vida na fila da morte

Alguns repórteres questionaram Damien durante a Press Conference sobre como ele sobreviveu e manteve sua sanidade durante estes 18 anos e 78 dias de prisão à espera da morte. Ele disse que com 7 a 8 horas de meditação por dia e muita leitura. Vi em outra entrevista que Damien ficou encarcerado em uma cela solitária de 2 metros por três, mal podia andar, não tinha acesso à internet ou contato físico com ninguém. Tinha direito a sair da cela por uma hora durante o dia para tomar sol, mas recusou este benefício porque o lugar era imundo. Ele tinha acesso somente a coisas de papel, então se apegou à leitura e ao estudo e também usou a meditação para não pensar no crime ou no que tinha acontecido a ele.

Bill Carter, velho amigo de Johnny e que também se comoveu com o caso, fez a música “Anything made of paper” – Qualquer coisa feita de papel – para Damien Echols . Infelizmente não achei a letra, mas achei a música. Confiram. É linda.

Como Jesse, Jason e Damien conseguiram a liberdade.

18 anos e 78 dias se passou da condenação até a soltura dos três, agora não mais jovens, homens. A Lei que proporcionou isto é bem complicadinha de entender, então vou resumir bem esta parte porque envolve em explicações técnicas e alegações das partes que daria outro post enorme.

Para entender, lembre-se de os três sempre mantiveram a alegação de que eram inocentes. Echols alegava que ele havia sido “condenado” muito antes mesmo de ser julgado, pois era considerado um “’outsider” da sociedade por não se encaixar nos padrões e por ouvir músicas que induziam ao “satanismo” como o Metallica e absurdos assim. Jason alegava que foi condenado por associação a Damien e Jesse alegava que sua confissão foi coercitiva.

A Lei chama-se Alford Plea . Trata-se de um acordo onde o condenado assegura sua convicção de inocência, mas admite que a procuradoria poderá condená-lo baseada em provas suficientes para tal. A princípio Jesse parece que não aceitou este acordo, mas cedeu e voltou atrás depois que Jason aceitou o tal acordo para salvar a vida de seu melhor amigo, Damien.

Este acordo proporcionou a libertação dos três, mas não os exonerou dos crimes.

A situação dos três hoje

Em entrevista à rede de TV, Jason Baldwin disse que vai retomar sua vida e quer cursar Direito para advogar em causas como a sua.

Jesse não se manifestou para a imprensa.

Damien Echols disse que está batalhando para reaprender a viver no mundo aqui fora.Escreveu um livro “Life after Death” que será lançado nos EUA dia 17 de setembro e terá a divulgação no dia 21 de setembro em Nova York com a presença de Johnny.

Damien disse que pretende ingressar no caminho da arte e que quer ser um escritor.

Os três estão em liberdade, mas não são homens livres. Em seus currículos constam as condenações e agora eles lutam para que o verdadeiro criminoso seja encontrado e preso. Só assim o caso será reaberto e eles receberão a exoneração.

Para ir ao Festival de Toronto, Damien disse que passou pelo inferno para obter o visto e a autorização de viagem.

O propósito do atual filme- documentário “West of Memphis” e do livro de Echols é justamente mostrar novos pontos de vista e motivar esta busca pelo verdadeiro criminoso para que a justiça seja feita não somente para eles , mas para as famílias das vitimas.

Damien Echols e Johnny Depp

Na Press Conference Johnny disse:

“Eu sou essencialmente um frentista que tem um trabalho estranho. Eu não me vejo como celebridade. Estou aqui como amigo. Se houver pessoas por aí que possam tirar um tempo e me ouvir, eles aprenderão mais sobre o caso. Estou aqui para ajudar a obter justiça para todos. Estou aqui como amigo.”

Damien disse também na mesma entrevista que se não fosse por pessoas como Johnny, ele e Lorri estariam literalmente na rua, na miséria, sem comida, casa ou roupas.

Damien e Johnny possuem três tatuagens idênticas. Perguntaram uma vez ao Damien porque ele fez tantas tatuagens depois que saiu da prisão e ele respondeu que a tinta na pele é a única coisa que não podem tirar dele. No lugar onde ele estava, tiraram tudo, roupas, cabelo e até a liberdade. As tatuagens representam algo de história e ancestrais. E ele fez três delas em homenagem ao Johnny.

Na entrevista da Press Conference também perguntaram para Johnny sobre sua relação com Damien depois que ele foi solto.

“Nossa relação é como amor fraterno. Ver finalmente Damien na porta da minha casa foi muito comovente. Foi uma celebração. Foi lindo. Nós comemos “tater tots” ( uma espécie de batata empanada frita) e tacos e , então o curso natural da coisas aconteceu e nós fomos direto para a loja de tatuagens. Ver Lorri e ele novamente tem sido uma dádiva profunda. Ver estas pessoas no mundo afora…eles são pessoas maravilhosas, amigos maravilhosos. Eu me sinto afortunado de estar envolvido neste projeto.”

Bom gente, eu tirei meu tempo para ouvir e aprender o que estas pessoas tem a dizer. Espero que tenha conseguido passar para vocês de maneira clara, mesmo que resumida, o que aprendi.

Sobre o post: Este post não tem o propósito de abordar o assunto do crime de West Memphis em sua totalidade ou defender alguém . Diante das muitas dúvidas que surgiram por causa da participação de Johnny neste festival, eu quis dar uma pincelada e esclarecer o porquê dele estar lá e a sua importância. Por isto não me aprofundei em detalhes. O foco do nosso Blog é o Johnny em primeiro lugar.

Pesquisei o assunto por um ano, desde que fiquei sabendo. Li, ouvi e assisti os documentários, entrevistas de todos envolvidos.

Sendo assim, quero esclarecer que o Wikipedia nem sempre é base precisa para se apurar um caso tão delicado. Muito do que este site diz está correto, mas muita coisa está desatualizada, principalmente o que diz respeito às provas de acusação. Alguns fatos foram verificados e há evidencias de que a policia na época “plantou” informações imprecisas baseadas em pré-julgamentos da sociedade e em aparências, como Johnny disse em uma das entrevistas que li. Como o fato de Damien ser considerado um desajustado, desequilibrado e com surtos psicóticos e tendência ao satanismo. O fato do satanismo foi negado pelo próprio Damien quando se sentou no banco de testemunhas para depor. Como mencionei no post ele foi institucionalizado quando jovem em um hospital psiquiátrico, mas isto não é prova para incriminar ou julgar o comportamento de alguém.

Durante o processo de apelação da defesa, os advogados de Damien tentaram usar uma estratégia para tira-lo do corredor da morte. Esta estratégia foi alegar que depois de sua condenação e durante todo o processo de julgamento, Damien teve um surto psicótico no qual achava que foi possuído por uma força superior e que isto o tornava invulnerável a tudo e a todos. Se a defesa conseguisse que o Tribunal acatasse esta tese, ele teria um novo julgamento e talvez pudesse ser institucionalizado ao invés de ir para a mesa de injeção letal.

Achei que não precisava ir tão a fundo nesta questão, mas esta aqui mais uma explicação dos fatos.

Só mais uma observação, temos que respeitar este caso que afetou a vida de 6 famílias profundamente. Por isto eu me preparei antes de fazer este post. Sou formada em Direito e sendo assim, sei como é lidar com estes crimes absurdos.
Johnny disse que o intuito deste documentário, do livro e de todos estarem lá no TIFF era de mover o sistema para que a justiça seja feita para todos.

32 thoughts on “WM3

  1. Salete disse:

    Ótimo Adriana! Obrigada ela pesquisa. Sei que ela foi resumida para dar um toque mais suave ao blog, e alcançar os diversos tipos de leitores que temos aqui.
    Mais uma vez estamos diante de um Johnny muito humano, muito real, pés no chão e envolvido com causas importantes.

  2. Barbie disse:

    Johnny é uma pessoa humilde, muito real e nao tem medo do que as pessoas podem dizer…
    Adorei saber esta historia 🙂

  3. Eu estava mesmo querendo saber mais sobre damien obrigado pelo post ajudou muito! Mais uma vez Johnny mostrou a todos que ele não é só um rosto bonito, mas sim uma pessoa com talento pesnalidade e opnião propria cada vez admiro mais ele.

  4. Ro disse:

    Dri, parabéns.
    Confesso que eu não tinha me aprofundado. Não leio ou não vejo filmes sobre crimes que levam à prisão perpétua e pena de morte. Geralmente tratam de fatos reais e de investigações nebulosas que me deixam mal.
    Não posso imaginar o que é ser acusado injustamente.
    Um crime não justifica o erro de condenar sem provas.
    Não me surpreende nenhum pouco Johnny ter se identificado. Ele é leal aos amigos, ele teve uma infância e adolescência fora dos padrões, ele teve e tem amigos fora dos padrões, ele é genuinamente uma pessoa do bem e tem empatia. De resto, acreditar na inocência dos três e lutar por ela é um ato corajoso e já alvo de críticas. Nosso Johnny é corajoso e leal. A inocência ou não, nem vem ao caso neste meu comentário. Não será Johnny a julgar. Mas ninguém pode ficar de bem consigo mesmo aonde existir um pontinho de dúvida.
    E mais uma vez este blog mostra o quanto é excelente.

  5. Carolina Rainha disse:

    Muito boa a materia! Parabens e muito obrigada por nos manter sempre informadas..

  6. Pri disse:

    Adriana, Parabéns!!! Que excelente post!!!
    Obrigada pelas informações!!
    Johnny sempre com uma bela atitude, sempre dando apoio em causas importantes!

  7. Laura disse:

    Este caso é realmente assustador. A polícia nunca conseguiu provar nada contra estes rapazes, porém, houve muitas evidências que os levaram à prisão. Há de convir que eles não eram propriamente um encanto de meninos. O Damien Echols era um sujeito violento, com problemas psicóticos que beiravam à esquizofrenia. Ouvia vozes, delirava…era envolvido com rituais satânicos, e deu declarações que evidenciavam a sua culpa. Bem, tomara que tenham feito justiça ao libertá-los e, se realmente inocentes, só nos resta lamentar pelos anos todos prisioneiros da incapacidade da justiça reconhecer a vossa inocência.

  8. Elisa disse:

    Sem palavras. Obrigada!
    Tô aqui “engasgada” imaginando o q esse cara (Damien) passou todos esses anos no corredor da morte.
    Qto à atitude de Johnny acho q nem preciso repetir o qto ele é especial…

  9. Jaquee disse:

    Fico muito feliz pela liberdade deles… Mas fico triste porque eu realmente acredito que não vão encontrar o verdadeiro culpado, o que não os deixa 100% livres. Torço pra que isso aconteça, mas tanto depois depois… Não sei.
    O Johnny, como sempre, se envolvendo e interferindo em uma causa nobre como essa. O que eu acho lindo nele, é que ele simplesmente faz aquilo que ele acredita ser certo. Ele viu injustiça no caso, e interferiu. Ele é um ser humano ímpar!
    Obrigada Adriana, por nos passar essas informações tão importantes!!

  10. Luuh disse:

    Dri,parabéns pelo post!!Falou muito bem de um assunto tão delicado.Eu não sabia muito bem dessa história,agora fiquei sabendo mais detalhes.
    Ainda bem que eles conseguiram a liberdade.
    E Johnny,mais uma vez,mostrando que é uma pessoa humilde e com um coração de ouro,que nos enche de orgulho.
    Ótimo post.

  11. Rosa Maria disse:

    Adriana, parabéns e obrigada. Parabéns por conseguir resumir uma história tão longa e apresentá-la de uma forma não agressiva, e obrigada por nos informar tão bem! Ao contrário do que muitos podem pensar, apesar do tempo decorrido, o caso pode ser esclarecido, como temos visto nos últimos tempos, inclusive vários casos de inocentos que amargaram anos de prisão dos EUA. Estou orgulhosa pela atitude de Johnny! Com sua desconcertante humildade, e imensa humanidade, nos dá uma grande lição de amor!

  12. Adriana disse:

    Obrigada a todos. Uma caracteristica valiosa do carater do Johnny é a sua lealdade. Ele vai até o fim por um amigo.

  13. flavia disse:

    Obrigada Adriana, acho que como você mesma disse, sendo advogada sabe como lidar ao falar destes casos. Escreveu muito bem, o que nos trouxe um bom esclarecimento da situação dos 3 e tudo o que fez com que o Johnny se envolvesse. Lendo tudo o que você escreveu e depois da lição de humanidade que o Johnny nos deu, que não é de hoje, só tenho algo a dizer, vou procurar por mais, vou seguir seus passos Adri, vou me informar, buscar documentários e entrevistas, como você colocou no inicio do post: “tirem um tempo para ler e aprender sobre este caso.” – Johnny Depp.

  14. Grasi disse:

    Obrigada por esse post Adriana ♥ Sempre quis entender um pouquinho melhor esse caso. 😉

  15. heleusiane disse:

    Dri, muito obrigado pelo post tão esclarecedor.
    Johnny mais uma vez prova o caráter humano que tem e o coração super sensível e disposto a ajudar aqueles que realmente precisam.
    Realmente ele não é só um rosto bonito… um astro de Hollywood… ele é um homem simples com um enorme coração.
    O mundo tá precisando de mais Johnnys Depps.

  16. Lu disse:

    Muito interessante e esclarecedor, eu só havia lido algumas coisas para situar os visitantes do DL sobre o wm3, nada nem de longe tão completo como isso. Gostaria muito que o verdadeiro culpado fosse encontrado, dessa maneira seria muito mais fácil e justo que Damien e os outros rapazes retomassem suas vidas.

  17. Lu.Moraes disse:

    Adriana,muito obrigada pelo post.

  18. Andréa disse:

    Eu nao sabia sobre esse caso,mas espero que a justiça seja feits

  19. Ana disse:

    Excelente post Adriana!
    Gostaria muito de assistir a este documentário (até parece que só eu né! :mrgreen: ).
    E sobre a atitude de Johnny, transcrevo esta frase de um autor desconhecido, quando li, não pude pensar em outra pessoa:
    “Uma grande pessoa é a que faz nascer em nós um grande sentimento.”

  20. Adriana disse:

    Legal isso Ana!

  21. Joana disse:

    ótimo post. Que história triste gente! espero que esse caso seja resolvido e que traga paz para vida de todas essas pessoas envolvidas. Sorte do mundo que existe uma pessoa tão especial como Johnny. Ele é uma pessoa tão incrível, um ser tão iluminado. é muito emocionante ver ele envolvido em mais uma causa como essa. Com certeza Johnny é um exemplo de ser humano. Vou procurar o documentário, que fiquei curiosa pra saber um pouco mais sobre esse caso.

  22. Aílla disse:

    História muito forte mesmo… é por essas e outras que nós amamos o Johnny por ser essa pessoa admirável que se envolve totalmente no que acredita.

    E Adriana muito, muito obrigada por ter trabalhado tanto para esclarecer essa história que não é nada fácil.

  23. maya disse:

    Hey Dri muito bom hein!!! super completo !! adorei 😆 🙂

  24. Adriana disse:

    Joana, o documentario Paradise Lost pode ser visto em capitulos no Youtube, ja o West of Memphis sera mais dificil de encontrar pois sera lançado em poucos lugares. Vamos torcer para que pelo menos saia no Brasil em DVD.

  25. Joana disse:

    ook, obrigada Adriana! 😀 espero que o DVD saia no Brasil mesmo.

  26. Pingback: Anônimo
  27. Jéssica disse:

    Prezada Adriana,

    Estou fazendo um curso prático de tribunal do juri.
    Nós escolhemos esse caso para simularmos e estou focada na pesquisa.
    Não conhecia o blog, mas você disse que tem muito material e é formada em Direito.

    Poderia me ajudar de alguma forma? Fornecer material? Ainda tem esses arquivos sobre o caso?

    Muito obrigada!

  28. Salete disse:

    Oi Jéssica, vou ver se Adriana tem mais alguma coisa afinal este post é de 3 anos atrás. Mas tenho aqui algumas dicas. Existe a página do Damien Echols no facebook, https://www.facebook.com/damienwechols?fref=ts onde ele está sempre atualizando o caso.
    Tem o documentário no Netflix “West of Memphis” muito bom, vale a pena assistir.

  29. Adriana disse:

    Jessica,

    Olá. Desculpe a demora da resposta. Olha, eu não tenho mais os arquivos comigo, infelizmente perdi alguns arquivos no meu antigo laptop que parou de funcionar, uma fonte muito boa é ler o proprio livro do Echols, ja tem em portugues ” Vida após morte” , nele ele conta sua vida e experiencia. Talvez voce possa entrar em contato com ele ou com a Lorri atraves da pagina no Facebook no link que a Salete postou.
    Obrigada pelo contato e boa sorte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

«
»